Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

O PROFISSIONAL de SAÚDE como um ESCUTADOR

Por: Prof. Marcus Renato de Carvalho, IBCLC

 /

O profissional de saúde como cuidador e,

por isso, um escutador

 

                                Atualmente, os profissionais de saúde são treinados a prescrever, informar, responder corretamente questões de vida ou morte. Sob tais exigências, frequentemente o profissional recebe pouca instrução sobre uma atividade totalmente diversa, mas igualmente fundamental: a de ouvir seus pacientes.

Rubem Alves nos fala: “O que as pessoas mais desejam é alguém que as escute de maneira calma e tranquila. Em silêncio, sem dar conselhos, sem que digam: se eu fosse você…”

Saber ouvir é uma habilidade rara, e há cursos para se aprender a fazê-lo: a técnica é chamada “Aconselhamento” (“counseling” ou “consejería”).

Aconselhamento não é dar conselhos: é compreender, assessorar, fortalecer a autoconfiança e autoestima de quem nos procura. Aconselhamento é uma postura – escuta-se com as mãos, com um toque, um gesto, com a respiração, com um olhar, inclusive com os ouvidos!

Aprender a ouvir sem julgar, sem levar sustos e sem ditar regras é um desafio.

Há várias barreiras que dificultam essa ponte comunicativa: o jaleco branco; o “mediques”; o computador (que às vezes está interposto); a mesa que separa; a diversidade cultural humana…

Devemos continuar sendo experts em nossas especialidades, dominar os procedimentos diagnósticos e as modalidades terapêuticas – devemos, sim, saber o que estamos falando. Contudo, os pacientes precisam de alguém que realmente os escute. Trata-se, afinal, de suas vidas – e o paciente acredita, com razão, que não há ninguém mais autorizado que ele mesmo a falar da própria vida.

Há uma comunicação não verbal que pode ser útil como por exemplo: mantenha sua cabeça no mesmo nível de quem você está atendendo; preste atenção; remova barreiras; não interrompa; dedique tempo; toque de forma apropriada (se for o caso); não atenda o telefone; não fique escondido atrás do monitor do seu computador, não preencha os formulários enquanto escuta, entre outras.

Devolver ao paciente o que ele disse demonstra que compreendemos o que ele falou. Uma simples assentida de cabeça, um sorriso ou um “Ahã”, “Mm”, “Sei”.

Aconselhamento é uma postura, uma atitude de empatia, é diálogo. E diálogo é ouvir a despeito do que se quer falar.

Outra dica: evite palavras que soam como julgamento ou desdém. Exemplos: você agiu mal; você fez errado; foi inadequado; houve uma falha; parece infeliz; isto não é nada; é realmente um problema. Oriente ao invés de corrigir.

Aceite o que o paciente pensa e sente: primeiro reconheça e elogie o que ele estiver fazendo melhor; ofereça ajuda prática; dê pouca e relevante informação; use linguagem simples e comente uma ou duas sugestões.

E veja como é interessante: você pode aplicar esta “técnica” em outras situações, com seu companheiro, com seus filhos, com seus sócios. Você verá que dar ouvidos vale a pena!

“Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas 

mas ao tocar uma alma humana,

seja apenas outra alma humana.”

Carl Jung

 

 

*Marcus Renato é docente da Faculdade de Medicina – UFRJ. Especialista pelo International Board Certified Lactation Consultant. Mestre em Saúde Pública pela FioCruz, editor do site www.aleitamento.com

Agradeço a Bacharel em Letras e acadêmica de Medicina da UFRJ Nayara Alves pelas críticas e sugestões ao texto.

Convite

Oficina de Introdução à Prática do Aconselhamento em Amamentação: inscrições abertas em http://www.aleitamento.com/curso/

Publicado originalmente em http://clinimkt.com.br/clinicando/convidado/o-medico-como-cuidador-e-por-isso-um-escutador/#comments

 

 

 


Última atualização: 16/10/2013

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital