msg aviso
Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

\ Amamentação \ Pesquisas \ Artigo

Artigos Científicos

Por: Aleitamento.com

U: OLIVEIRA, M.I*, CAMACHO, L.A.B. e TEDSTONE, A.E.

Ti: Extending Breastfeeding duration through primary care: A systematic review of prenatal and postnatal interventions.

Fo: J Hum Lact. 17(4): 326-343.

Res.: Esta revision de la literatura muestra estrategias y procedimientos efectivos utilizados para aumentar la duración de la lactancia materna. Intervenciones durante el embarazo y/o el cuidad del niño que se hacen en los servicios de los centros de salud, em el ámbito comunitario o en consultas hospitalarias se incluyeron en esta revisón. Se excluyeron intervenciones que cubrían solo el período del parto. Las intervenciones que mostraron mayor efectividad para aumentar la duración de la lactancia materna fueron generalmente uma combinación de educación, asesoramiento y apoyo y fueron intensivas y de largo plazo. Durante el cidado prenatal la educación em grupo fue la única estrategia efectiva reportada. Las visitas domiciliarias que identifican las preocupaciones de las madres sobre lactancia, aconsejan a las madres para resolver problemas e involucram a los familiares como parte del apoyo a la lactancia fueron efetivas em el período postnatal o em ambos períodos. Las seciones de educación individual fueron también efectivas durante estos períodos, lo mismoque la combinación de dos o tres intevenciones em los dos periodos. Las estrategias que no mostraron efectividad se caracterizaron por la ausencia de interaccioón personal, mensajes contradictórios o intervenciones a baja escala.

Idioma original: inglês

* Maria Inês Couto de Oliveira, PhD, Msc - IBFAN Rio - PAISMCA/SES-RJ

 

AU: PINI, J. G e PERES, S. P. B. A

Ti: Alimentação do lactente portador de lesão lábio-palatal: Aleitamento e introdução alimentary / Nourishment of the infant with cleft lip and palate lactant: nursing and nourishing introduction

Fo: Ver. Nutr. Campinas, 14(3): 195-199, set./dez., 2001

Res: São inquestionáveis as vantagens do leite materno para o neonato. Na sua impossibilidade, é necessária a introdução do leite artificial e de alimentação adequada como forma de reposição de nutrientes, respeitando-se a maturação neuro-fisiológica da criança. Para o estudo, foram investigadas 60 crianças de 2 a 4 anos, de ambos os sexos, portadoras de lesão lábio-palatal, pacientes do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, Universidade de São Paulo, Bauru, quanto a sua história dietética pregressa (aleitamento e introdução alimentary) e peso e estatura atuais, a fim de verificar possíveis influências no estado nutricional relacionados à sua alimentação no primeiro ano de vida. Os dados obtidos mostraram que o aleitamento materno foi significativo, e que o desmame, o aleitamento artificial e a introdução alimentar, apesar de inadequados, pouco influenciaram na antropometria atual.

Idioma original: português

...

Au: Daí-D Walker-WA

Tí: Protective nutriens and bacterial colonization in the

immature human gut / Nutrientes protetores e

colonização bacteriana no intestino humano imaturo.

Fo: Adv-Pediatr. 1999; 46:353-82

Res: A microflora humana normal é um ecossistema complexo que depende em parte dos nutrientes entéricos para estabelecer a colonização. A microbiota intestinal é importante tanto para as funções metabólicas quanto para a resistência contra infecções bacterianas no hospedeiro. Quando o ser humano nasce, a colonização bacteriana começa no intestino, anteriormente isento de bactérias.A dieta e as condições ambientais podem influenciar este ecossistema. Um recém-nascido a termo, saudável, tem uma microbiota intestinal, em que as bifidobactérias predominam sobre bactérias potencialmente patogênicas, enquanto nos recém-nascidos alimentados com fórmulas, predominam os coliformes, enterococos e bacteróides. O padrão de colonização bacteriana no intestino neonatal prematuro é diferente daquele no intestino neonatal a termo, saudável. Os recém-nascidos submetidos a cuidados intensivos adquirem lentamente os organismos da flora intestinal normal, e o estabelecimento da flora bifidobacteriana ocorre tardiamente. O atraso na colonização bacteriana do intestino, com um número limitado de espécies bacterianas, tende a ser virulento. A super-colonização bacteriana é um dos principais fatores promotores da translocação bacteriana. A colonização anormal do recém-nascido prematuro pode contribuir para o surgimento da enterocolite necrozante. O aleitamento materno protege o lactente contra infecções. Os oligossacarídeos e glicoconjugados, componentes naturais do leite humano, podem prevenir a fixação intestinal dos enteropatógenos, agindo como homólogos de receptores. Os probióticos e prebióticos modulam a composição da microflora intestinal humana, beneficiando o hospedeiro. Estes efeitos benéficos podem resultar na supressão de microorganismos patogênicos e/ou na estimulação do crescimento bifidobacteriano. No futuro, o controle e a manipulação da colonização bacteriana no intestino neonatal podem representar uma nova abordagem para a prevenção e tratamento das enteropatias infecciosas de diversas etiologias.

Idioma Original: Inglês

 

Au:Calhoun- DA; Lunoe-M; Du-Y Christesen-RD

Ti: Gramulocyte colony-stimulating factor is present in

human milk and its receptor is presntin human fetal

intestine. / Presença do fator de estimulação de colônias

de granulocitos no leite humano e do seu receptor no

intestino fetal humano

Fo: Pediatrics 2000 jan; 105(1): e7

Res: Objetivo: O leite humano confere aos neonatos um grau significativo de proteção contra infecções, mas os mecanismos responsáveis por este fenômeno ainda não foram devidamente esclarecidos. È importante descobrir estes mecanismos, devido à possibilidade de suplementar as fórmulas infantis com fatores que simulem a capacidade protetora do leite humano. A hipótese dos autores é que um destes fatores seja o G-CSF (fator de estimulação de colônias de granulócitos), uma citocina que aumenta as defesas antibacterianas através do efeito positivo sobre a produção sobre a produção de neutrófilos. Para testar a hipótese, os autores quantificaram o G-CSF no leite de mulheres saudáveis e daquelas com infecção intra- amniótica, e investigaram a presença de receptores a funcionais de G-CSF (G-CSF-R) nas vilosidades intestinais fetais e neonatais.

DESENHO DO ESTUDO: Um ensaio imuno-enzimático foi utilizado para medir o G-CSF em 126 amostras de leite obtidas de mulheres nutrizes, e as concentrações foram analisadas de acordo com a idade gestacional, dia de coleta pós-parto(primeiros 2 dias vs. mais de 2 dias) e presença ou ausência de infecção intra-amniótica. As transcrições de RNA-mensageiro do G-CSF-R do intestino fetal/neotal foram investigadas pela reação em cadeia de polimerase pela transcriptase reserva (RT-PCR). E localizadas pela RT-PCR in situ. A proteína G-CSF-R e as proteínas sinalizadoras intracelulares específicas (como a tirosina-quinase-2) foram investigadas através da imunohistoquímica. Resultados: Todas as amostras de leite continham G-CSF; havia uma quantidade significativamente maior de G-CSF no leite coletado durante os primeiros 2 dias pós-parto do que nos dias subseqüentes. O leite de nutrizes após parto prematuro continha menos G-CSF durante os primeiros 2 dias pós-parto, comparado com o de nutrizes após parto a termo. Na presença de infecção intra-amniótica, a concentração de G-CSF no leite encontrava-se significativamente elevada , comparada com as concentrações no leite de mulheres sem infecção. As concentrações de G-CSF também estavam mais elevadas no leite coletado durante os primeiros 2 dias pós-parto entre mulheres que haviam recebido tratamento intra-parto com G-CSF recombinante, comparado com o leite de mulheres com infecção intra-amniótica (tanto com parto quanto a termo). O RNA-mensageiro e a proteína do G-CSF eram expressos nos enterócitos das vilosidades fetais, e a tirosina-quinase-1 de Janus, a tirosina-quinase-2 de Janus e a tirosina-quinase-2 estavam presentes no citoplasma destas células.

Conclusões: Os leites humanos contem qualidades substanciais de G-CSF. Os receptores G-CSF-R são abundantes nos enterócitos das vilosidades, e proteínas específicas associadas à sinalização dos G-CSF-R estão presentes nestas células.

Idioma Original: Inglês

 

 

 

 

AU: Kokori-H; Giannakopoulou-CH; Hatzidaki-E et al.

Ti: An unusual case of lead poisoning in an infant:

Nursing-associated plumbism / Um caso incomum de

intoxicação por chumbo num lactante: plumbismo

associado ao aleitamento materno.

Fo: J-Lab-Clin-Med. 1999, nov; 134(5):522-5

Res: A intoxicação por chumbo persiste como ameaça ambiental comum entre crianças. A maioria dos casos de intoxicação por chumbo é causada pela ingestão oral de poeira de chumbo ou de lascas de tinta contendo chumbo, e ocorre durante o segundo e terceiro anos da vida. Os autores apresentam um caso incomum de intoxicação por chumbo numa lactente amamentada ao seio materno; descobriu-se que a fonte era um protetor de mamilo feito de uma liga metálica que continha chumbo. Apesar da gravidade da intoxicação, até o final do tratamento e durante um ano de acompanhamento subseqüente a criança tem evoluído bem, com desenvolvimento psicocinético normal.

Idioma Original: Inglês


Publicado em: 1/12/2010

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade | Fale Conosco
18 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital