Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

ALIMENTAÇÃO INFANTIL: Muitos produtos INDUSTRIALIZADOS

Por: Lais Cattassini - Jornal da Tarde, SP

Mães e Pais dão produtos industrializados em

EXCESSO a bebês
 

  Jornal da Tarde, por Lais Cattassini
 

67% das famílias pesquisadas oferecem esses alimentos a criança com menos de 3 meses

Uma pesquisa realizada pela disciplina de Nutrologia do Departamento de Pediatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) mostra que 67% dos pais consultados oferecem às crianças menores de 3 meses alimentos como sucos artificiais, salgadinhos, macarrão instantâneo e embutidos. O estudo foi feito com 270 pais e responsáveis por crianças que frequentam creches e berçários públicos em São Paulo.

A falta de cuidado com a alimentação pode provocar obesidade infantil, cáries e alergias. A recomendação de nutricionistas e pediatras é que até os seis meses de idade os bebês só consumam o leite materno, que é rico em nutrientes e garante a imunização da criança. Produtos industrializados e açúcar refinado só devem ser introduzidos na dieta após os 2 anos, e de forma moderada. "Os alimentos industrializados são altamente calóricos. A ingestão precoce pode comprometer o crescimento e desenvolvimento infantil, desencadear processos alérgicos, carências de vitaminas e minerais, aumentar a incidência de cáries, obesidade infantil e o surgimento cada vez mais precoce de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes", explica a nutricionista Maysa Helena Toloni, autora da pesquisa.

O estudo mostrou que, além de produtos industrializados, o açúcar refinado é introduzido precocemente na dieta infantil. De acordo com a pesquisa, 31% dos pais entrevistados afirmaram ter oferecido açúcar refinado aos filhos antes dos 3 meses de vida. Até os 12 meses, o índice sobe para 87%. O mel também é introduzido na dieta logo cedo. A pesquisa aponta que 73% dos pais dão mel às crianças que ainda não completaram um ano. Maysa explica que o mel pode facilitar intoxicações alimentares e, portanto, não é um bom substituto para o açúcar. "O mel é totalmente contraindicado no primeiro ano de vida pelo risco de causar botulismo."

A pesquisa ainda aponta que a alimentação incorreta está associada à população de baixa renda. Os pais, sem acesso à informação nutricional, são jovens, com baixa escolaridade e menor poder aquisitivo. "Os pais não estão informados sobre a idade adequada para introdução de alimento e os malefícios de uma dieta rica em produtos industrializados", explica a pesquisadora.

O ideal até os dois anos de idade é que todos os alimentos fornecidos às crianças sejam livres de açúcar. "Os sucos e as frutas devem ser naturais. Não precisa acrescentar açúcar, pois o açúcar refinado pode provocar cáries e também obesidade infantil", diz Alessandra Miramontes Lima, pediatra e alergista do Hospital Infantil Sabará. Aveia e complementos alimentares, como farinha láctea, misturados com frutas são os alimentos que a maioria dos pais entregam às crianças. "Até os seis meses só dava leite materno. Agora ela come papinhas, sopas e frutas com farinha láctea", conta a mãe de Sophia, Elisângela Santana, de 33 anos.

Os iogurtes também são comuns na dieta infantil. Segundo Alessandra, o problema desse tipo de produto é o corante. "O mais comum é encontrarmos pais que dão iogurtes e queijos do tipo petit suisse. O corante e os conservantes desses produtos provocam alergias."

A pequena Yasmin, de 2 anos, apresentou alergia logo cedo e, portanto, sua dieta foi controlada. "Ela tem alergia a lactose e, até os seis meses, só tomava leite materno. Hoje ela come frutas e toma sucos naturais, mas não gosta muito de doces", conta o pai Renato Arantes, de 28 anos.

O gosto de Yasmin é algo raro entre crianças. Marcos tem 3 anos e adora doces. "Eu tento controlar, mas ele sempre pede", explica a mãe Patrícia de Andrade Pilão, de 36 anos. A preferência é incentivada por comerciais e geralmente está ligada à interrupção precoce do fornecimento de legumes e hortaliças. Sem uma preocupação nutricional, as crianças podem se tornar obesas. "A obesidade é uma doença crônica, que pode se iniciar na vida intrauterina. Prevenir a doença na infância pode evitar custos médicos no futuro", diz Maysa.

O QUE É PROIBIDO

Iogurtes
Contêm açúcar, corantes e conservantes e podem causar alergia

Biscoitos doces
Contêm gordura vegetal, amido e aromatizantes. Contribuem para a obesidade infantil

Requeijão
Contém acidulantes, conservantes e estabilizantes. Pode causar alergia e intoxicação alimentar

Leite em pó e complementos alimentares
Possuem açúcar, gordura e emulsificantes, e facilitam intoxicações alimentares nos bebês e obesidade infantil

Refrigerantes
Contêm açúcar, cafeína e corantes, que provocam obesidade e enfraquecem os dentes

Sucos artificiais
Possuem açúcar, corantes e aromatizantes, que provocam cáries
 

 

   

 

 
 
 


Última atualização: 5/7/2011

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
26 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital